Hoje é o último dia para pedir o auxílio emergencial

Para quem ainda não se cadastrou a fim de receber o auxílio emergencial de R$ 600, o prazo termina nesta quinta-feira (2), às 23h59, informou a Caixa Econômica Federal. O auxílio emergencial é um benefício financeiro destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos, desempregados e pessoas de baixa renda e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Inicialmente proposto para vigorar por três meses, com o pagamento de três parcelas de R$ 600, o benefício foi prorrogado por mais dois meses, com o pagamento de mais duas parcelas. Pelas regras, até duas pessoas da mesma família podem receber o auxílio. Para as famílias em que a mulher seja a única responsável pelas despesas da casa, o valor pago mensalmente é de R$ 1.200.

Quem pode se cadastrar?

A Lei 13.982/2020, que instituiu o auxílio emergencial, foi aprovada pelo Congresso Nacional em abril e definiu os critérios para ser incluído no programa. Para ter acesso ao benefício, a pessoa deve cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

– Ser maior de 18 anos de idade ou ser mãe adolescente

– Não ter emprego formal

– Não ser agente público, inclusive temporário, nem exercer mandato eletivo

– Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família

– Ter renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135,00)

– Não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70

– Estar desempregado ou exercer atividades na condição de microempreendedor individual (MEI), ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) ou trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Como se cadastrar

Quem estava no Cadastro Único até o dia 20 de março e que atende às regras do programa, recebe os pagamentos sem precisar se cadastrar no site da Caixa. Quem tem o Bolsa Família pode receber o auxílio emergencial, desde que ele seja mais vantajoso. Nesse período, o Bolsa Família de quem recebe o auxílio fica suspenso.

As pessoas que não estão inscritas no Bolsa Família nem no CadÚnico e preenchem os requisitos do programa podem se cadastrar no site auxilio.caixa.gov.br ou pelo APP CAIXA | Auxílio Emergencial, disponível nas lojas de aplicativos. Depois de fazer o cadastro, a pessoa pode acompanhar se vai receber o auxílio emergencial, consultando no próprio site ou aplicativo.

O Ministério da Cidadania informou, na semana passada, que já recebeu mais de 124 milhões de solicitações do auxílio emergencial, sendo que cerca de 65 milhões foram considerados elegíveis e 41,59 milhões foram apontados como inelegíveis, por não atenderem aos critérios do programa. Existem ainda quase 17 milhões de inscrições classificadas de inconclusivas – quando faltam informações para o processamento integral do pedido. Quem estiver nessa situação deve refazer o cadastro por meio do site ou aplicativo do programa.

Mais informações sobre o auxílio emergencial também podem ser obtidas na página do Ministério da Cidadania na internet.

Governo do RJ desiste dos hospitais de campanha de Campos e Casimiro de Abreu

O secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Alex Bousquet, informou na tarde desta quarta-feira 01/07 que o governo desistiu de concluir dois hospitais de campanha – Campos e Casimiro de Abreu – planejados para vítimas da pandemia da Covid-19. Outras unidades que já estão em processo de construção em Duque de Caxias, Nova Friburgo e Nova Iguaçu serão concluídas.

O Estado tinha se comprometido no início da pandemia a abrir sete hospitais de campanha para ampliar a oferta de leitos para pacientes da doença respiratória provocada pelo novo coronavírus, mas até agora apenas as unidade do Maracanã, na zona norte da capital, e de São Gonçalo, na região metropolitana, foram inaugurados — ambos com atraso.

Segundo a Agência Brasil, (O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, anunciou no fim da tarde de terça-feira 23/06, por meio de sua conta no Twitter, que todos os hospitais de campanha previstos para serem construídos no estado para combater a pandemia de covid-19 serão entregues.

Todos os hospitais de campanha serão entregues. Junto com o comitê de especialistas e o secretário de Saúde, Fernando Ferry, ratificamos a preocupação com a segunda onda da doença. Estamos seguros sobre o atendimento às pessoas e garantiremos a retomada da atividade econômica”, disse o governador em sua rede social.

Witzel falou também sobre Campos dos Goytacazes, onde está prevista uma unidade de campanha.

Acabei de falar com o prefeito de Campos, Rafael Diniz, e o tranquilizei sobre a entrega do hospital de campanha da cidade. Há muitas dificuldades a serem enfrentadas para que, no menor prazo possível, tudo esteja pronto e operando. Vamos vencer. Seguimos firmes”.)

Bousquet afirmou que há planos para “pactuação” de leitos com a rede privada nas regiões que os hospitais de campanha foram cancelados que, segundo ele, dispõem de vagas neste estágio da pandemia.

Segundo o secretário de saúde Bousquet, as decisões tomadas em relação aos hospitais de campanha são explicadas porque as “estatísticas atuais, com a evolução da epidemia, se mostram menos desfavoráveis do que as iniciais”.

“Não podemos de forma alguma olhar para os hospitais de campanha com a luz do nosso conhecimento atual. A gente precisa olhar para trás e entender em qual cenário os nossos hospitais e a nossa preparação foram planejados. Tenho certeza que vários dos senhores [jornalistas], assim como eu, quando o cenário internacional em relação a doença se mostrou horroroso, quantos de nós não imaginávamos que seria tão ou pior aqui no Rio de Janeiro ? Quantos de nós não noticiamos que quando as pandemias chegassem às comunidades nós teríamos filas de corpos nos cemitérios?”, afirmou o secretário, durante pronunciamento no Centro do Rio.

“A nossa preocupação era: será que vai ter vaga para todo mundo ? Vai ter UTI para todo mundo? Vai ter respirador para todo mundo ?”, acrescentou.

Com informações:Agência Brasil/ G1

Em 24h Miracema registrou 06 novos casos do Novo Coronavírus

Foi divulgado na tarde dessa quarta-feira 01/07 pela prefeitura de Miracema a atualização do boletim epidemiológico do Novo Coronavírus, nessa atualização o município contabilizou 06 novos casos confirmados e 01 caso curado.

Clique na Imagem

De acordo com o boletim o município possui 136 casos confirmados, 337 casos negativos, 05 estão em isolamento hospitalar, 579 em isolamento domiciliar, são 541 casos suspeitos, 84 curados, 03 óbitos em investigação e 06 óbitos confirmados.

De acordo com o boletim sendo 136 casos confirmados, 84 curados e 06 óbitos o município possui 46 casos ativos, já o boletim subtrai também os óbitos que estão em investigação e assim mostra que o município possui 43 casos ativos.

O boletim também dispõe de um mapa mostrando o número de casos por bairros e distritos.

Pádua ultrapassa 400 casos confirmados do Novo Coronavírus

Clique na Imagem

Foi divulgado na tarde dessa quarta-feira 01/07 pela secretaria de saúde de Pádua a atualização do boletim epidemiológico do Novo Coronavírus, na atualização de hoje o município registrou 16 novos casos confirmados e 09 casos curados.

De acordo com os dados o município possui 401 casos confirmados, 260 casos curados, 257 suspeitos, 02 óbitos em investigação, 05 óbitos confirmados, 03 estão em isolamento hospitalar, 02 em isolamento hospitalar fora do município.

De acordo com o boletim sendo 401 casos confirmados, 260 curados e 05 óbitos o município possui 136 casos ativos.

O município dispõe de um mapa contendo o número de casos por bairros e distritos, o bairro Dezessete é o bairro que contem maior número de casos sendo 41 casos, o bairro Cidade Nova vem logo depois com 40 casos.

Hoje comércio começou ¨voltou¨a reabrir as portas por causa do decreto de flexibilização, e tem gerado um pouco de desconforto e indignação por alguns cidadãos, pois o decreto de n° 071/2020 não permite que bares, lanchonetes, restaurantes, cafeteria entre outros do mesmo ramo funcionem, as igrejas e templos religiosos também não foram liberados a abrir suas portas.

Inscritos no Enem querem prova em maio de 2021

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram, hoje (1º), o resultado da enquete para a escolha do novo período de aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Para 49,7% dos estudantes, o Enem impresso deve ser aplicado em 2 e 9 de maio de 2021 e o Enem digital em 16 e 23 de maio.

Clique na imagem

As outras opções de data eram o Enem impresso em 6 e 13 de dezembro deste ano e Enem digital em 10 e 17 de janeiro de 2021, com 15% dos votos; e Enem impresso em 10 e 17 de janeiro de 2021 e Enem digital em 24 e 31 de janeiro, com 35,3% dos votos dos estudantes.

As provas, que aconteceriam em novembro deste ano, foram adiadas em função das medidas de enfrentamento à pandemia da covid-19. 

A pesquisa com os estudantes foi aberta no dia 20 de junho na Página do Participante LINK 1  e 1,113 milhão de estudantes, que representam 19,3% dos inscritos no exame, responderam de forma voluntária. O Enem 2020 tem pouco mais de 5,7 milhões de inscritos.

Data

De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, a data escolhida pelos estudantes ainda não é a oficial, mas será levada em conta para a definição. “Mais de 80% pediram para fazer a prova no ano que vem. É uma opinião importante, mas não é a única fonte de decisão”, disse, ressaltando que poderá ser, inclusive, uma data diferente daquelas que foram colocadas na enquete.

Lopes explicou que o MEC e o Inep irão, agora, consultar o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), que estão tratando do cronograma das aulas no ensino médio, e as associações que representam as instituições de ensino superior, para saber quando pretendem começar o primeiro semestre ano que vem. “A data sairá desse processo de construção coletiva”, disse.

A expectativa é que a definição do período de aplicação da prova seja anunciado daqui duas ou três semanas. Segundo Lopes, independentemente da data, o governo está se preparando para garantir a segurança sanitária dos participantes e das pessoas que trabalham na aplicação do Enem, com a disponibilização de álcool em gel e máscaras, além de diminuir a quantidade de estudantes nas salas.

Para o secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, caso o Enem 2020 seja realizado em maio do ano que vem, isso prejudicaria o primeiro semestre letivo das universidades. “É uma variável que será levada em consideração no debate com as instituições”, explicou.

Sisu e Enade

Paulo Vogel disse que o portal do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já está aberto para a consulta de vagas para ingresso no segundo semestre deste ano, nas universidades e institutos federais de ensino. As inscrições vão de 7 a 10 de julho.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, também anunciou que a prova do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2020, que aconteceria em novembro, será adiada para 2021 em razão da pandemia da covid-19 e dos problemas para a conclusão do cronograma do segundo semestre letivo. A nova data ainda será definida. O Enade avalia o desempenho dos estudantes e dos cursos de ensino superior.