ESTADO DO RIO PODE REGISTRAR MAIS CASOS DE SARAMPO DO QUE O ANO DE 2018

O Estado do Rio pode registrar mais casos de sarampo em 2019 do que o verificado no ano passado. A avaliação é de Alexandre Chieppe, porta-voz da Secretaria de Estado de saúde :

– É possível que o número de casos registrados neste ano supere o de 2018. Isso se deve ao surto que está acontecendo no Estado de São Paulo, que é nosso vizinho, e ao fato de ainda estarmos no inverno, que é o período de maior contágio da doença.

Durante todo o ano passado, o Rio registrou 20 casos confirmados de sarampo em seus 92 municípios. Já em 2019, 13 pessoas ficaram doentes até o momento: 10 em Paraty, duas em Nilópolis e uma na cidade do Rio. Além das ocorrências confirmadas, há outras cinco sob suspeita na Baixada Fluminense.


Em mais de 90% das vezes, os casos sob suspeita não se confirmam, já que o sarampo é muito confundido com outras doenças – explicou Chieppe – Nossa avaliação é de que a situação no estado está sob controle, já que as ocorrências foram localizadas e não se espalharam.

Dois dos casos suspeitos estão sob monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde de Duque de Caxias. Um deles é de um morador da cidade que foi internado em Niterói com sarampo.

O outro, de um menino de 12 anos, que passa por tratamento em hospital infantil do município da Baixada Fluminense.

Há outros três casos sob suspeita em Nilópolis, também na Baixada Fluminense. Em todas as ocorrências, familiares e amigos que conviveram com os doentes foram vacinados e estão sendo acompanhados. Representantes das secretarias lembram que a vacina contra o sarampo está disponível nos postos de saúde das duas cidades

.Desde o último dia 01/08 o Rio se encontra em estado de alerta contra o sarampo. Mal-estar geral, febre, tosse, coriza e manchas vermelhas são alguns dos sintomas da doença, que pode ser contraída por contato com pessoa infectada. A recomendação da Secretaria de Estado de Saúde é que crianças a partir de 1 ano e adultos até 49 anos que não se vacinaram procurem os postos municipais. Quem estiver em dúvida se já recebeu ou não a dose pode tomá-la de novo sem maiores problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *