Arquivo da categoria: NOTÍCIAS

APÓS DENUNCIA PM APREENDE GRADE QUANTIDADE DE DROGAS E PISTOLA EM FRIBURGO

Após receberem informações da chegada de grande quantidade de entorpecentes no bairro
Rui Sanglard Friburgo policiais do patamo conseguiu abordar os 03 acusados e com eles foram arrecadados 2.886 papelotes de cocaína, 01 pistola 9mm e R$ 235 reais em espécie.

A equipe conduziu os três homens juntamente com a droga para 151° DP, onde o caso foi registrado e os acusados foram presos.

DUPLA É PRESA COM PASSAROS E PRODUTOS FURTADOS EM CARDOSO MOREIRA

De acordo com denúncia, o motorista de um veículo Fiat modelo Siena de cor vermelha estava seguindo pela Rodovia BR-356, sentido Campos, transportando materiais furtados em Italva.

Os ocupantes do automóvel foram abordados na noite desta quarta-feira (08/05), no km 111 da Rodovia BR-356, Outeiro, em Cardoso Moreira. Durante buscas no carro os militares encontram duas gaiolas com dois pássaros coleiros, uma panificadora e uma TV.

Os dois ocupantes do veículo não apresentaram registro das aves, que estavam sem anilhas. Os envolvidos também não apresentaram notais ficais dos materiais.

O caso foi registrado na 148ª Delegacia Legal de Italva. A dupla foi autuada por crime contra a fauna e vai responder o processo em liberdade. Os pássaros e os materiais permaneceram apreendidos.

ESTADO DO RIO TEM A GASOLINA MAIS CARA DO BRASIL

O Estado do Rio de Janeiro tem a gasolina mais cara do país. Nas últimas quatro semanas, o preço médio do combustível no estado subiu de R$ 4,84 para o valor atual de R$ 4,99, um aumento de cerca de 3%.

De acordo com o último levantamento de preços da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), o Rio tem gasolina mais cara do Brasil, seguido do Acre e Piauí.

Ainda de acordo com a ANP, entre os municípios do RJ, Angra dos Reis apresentou o preço médio mais alto. Lá, a gasolina custa R$ 5,26. A média mais baixa foi em de São João de Meriti: R$ 4,73. Já na capital, ela é de R$ 5,02. É a 11ª mais alta.

A variação em diferentes áreas da cidade se deve aos custos de cada posto. Na Zona Sul, por exemplo, o pacote é mais alto do que na Zona Norte porque, entre outros fatores, o IPTU é mais elevado. Num posto em Copacabana, na Zona Sul, a gasolina saía, nesta quinta-feira (9), a R$ 5,29.

Na Avenida Brasil, principal via de acesso do Rio, na Penha, na Zona Norte, a gasolina saía a R$ 5,09. Em outro posto a cerca de 30 metros de distância e num em Ramos, o preço era o mesmo.

Mais adiante, num quarto posto na via, a gasolina era vendida a R$ 4,79. Num em Bonsucesso, ela estava a R$ 4,89.

Flutuação

Motoristas que circulam pela Avenida Brasil dizem que é muito difícil fazer pesquisa de preços. Eles contam que passam num dia verificando onde está mais barato. No dia seguinte, quando vão abastecer, o preço já mudou.

“Está bem complicado abastecer, a gente sente muito no bolso. Hoje a gente bota quase metade do que botava antigamente. Tem de ficar de olho no preço”, disse um motorista.

Outra motorista também reclamou do custo elevado. “A gente corre, corre, corre, mas não consegue fugir do preço. A variação é tão pequena que não vale a pena pesquisar. E o preço está muito alto. Não sobra nada para você se divertir.”

Em Cabo Frio, na Região dos Lagos, a gasolina tem um dos preços mais altos do estado. Num posto no Centro, o litro está a R$ 5,19. Segundo a ANP, o preço médio na cidade é de R$ 5,12, e o mais barato fica por R$ 4,98.

Em Araruama, também na Região dos Lagos, o preço médio da gasolina é de R$ 4,88.

Em abril, a ANP esteve em Cabo Frio para fiscalizar os postos junto com o Procon. Desde setembro de 2018, o Procon apura uma suposta formação de cartel – quando comerciantes combinam os preços -, o que é ilegal. O Ministério Público acompanha o caso. E já teve uma campanha para que consumidores não abasteçam em Cabo Frio.

Em Campos no parque rodoviário, a gasolina está sendo vendida a R$ 5,19. O preço médio na cidade é de R$ 5,01. No local onde ela é vendida mais em conta, custa R$ 4,69.

Em Itaperuna, o preço médio é R$ 5,01, sendo a menos cara vendida a R$ 4,85, e a mais cara, a R$5,19.

Impostos encarecem combustível

Segundo dados consolidados pela Petrobras com base no levantamento da ANP, os impostos estaduais são responsáveis por cerca de 29% do preço final pago pelo consumidor. Como o Rio tem impostos mais altos que outros estados, isso se reflete no preço nas bombas.

Também entra na conta o custo do etanol anidro, que é misturado à gasolina e representa 12% do preço final ao redor do país. Boa parte desse etanol vem de São Paulo, e o frete acaba aumentando a conta para os fluminenses.

Terminam de compor os preços ao consumidor os impostos federais, cerca de 15%, os custos de distribuição e revenda, 11%, e o preço de faturamento do produtor, como a Petrobras, cerca de 33%.

O pesquisador Felipe Pires, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), explica que no preço final da gasolina, no total, estão embutidos 45% de impostos.

“O maior vilão é o ICMS, imposto estadual, que no Rio tem alíquota de 34%. Em São Paulo, essa alíquota é de 25%. O ICMS é cobrado na fonte de consumo. Em São Paulo, por exemplo, tem maior frota, então em termos de escalas, a alíquota pode ser menor e o resultado para o cofre do estado vai ser muito razoável.]

No Rio, a frota é menor, apesar de ser o maior estado produtor, em termos de consumo somos um dos menores. Então, a alíquota acaba sendo um pouco mais elevada para compensar essa diferença”, explicou Pires.

A política de preços da Petrobras para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que têm os importadores como transporte e taxas portuárias.

Assim, uma variação positiva no preço do barril de petróleo no mercado internacional ou o aumento do dólar provocam a alta dos preços no Brasil.

O pesquisador destaca essas questões internacionais, como a diminuição da produção na Venezuela e embargos no Irã, que impactam no preço.

HOMEM É DETIDO APÓS AMEAÇAR OS AVÓS EM CAMBUCI

Um homem identificado como Romário Dutra Borges, de 29 anos, foi preso no início da madrugada desta quarta-feira (08/05), após ser acusado de ameaçar os avós, na área central de Cambuci.

O caso aconteceu no interior da residência dos idoso, nas próximo da Praça dos Trabalhadores depois que acusado teria tentando agredir e xingado os aposentados ela de 64 e ele 69 anos. Acionados, militares do 36º BPM seguiram até o endereço, onde detiveram o agressor, que há cerca de dois anos, estava por ordem da Justiça, proibido de aproximar da mulher.

Na 142ª Delegacia, acabou autuado em flagrante com base na Lei Maria da Penha e descumprimento de medida protetiva, crime considerado inafiançável, razão pela qual seguiu para Campos para audiência de custódia.

POSTOS DE GASOLINA DA REGIAO SAO VISTORIADOS

A Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro (Sefaz-RJ) realizou, nesta quarta-feira (08/05), a Operação Posto Frio II, com o objetivo de fiscalizar 35 postos no Estado do Rio suspeitos de receber combustíveis sem documentação fiscal.

A estimativa é cobrar cerca de R$ 200 milhões em multas e impostos desses contribuintes.

A operação foi organizada pelo Centro de Monitoramento e Análise de Dados (CMAD) da Auditoria Fiscal Especializada (AFE) 14, responsável pelas Barreiras Fiscais, que cuidou da apuração dos dados e da escolha dos alvos.

Os postos fiscalizados na Região Noroeste Fluminense, ficam nos municípios Itaperuna, Aperibé e São José de Ubá.

Participaram da ação 34 Auditores Fiscais da Receita Estadual (AFREs). Eles coletaram documentos para comparar as movimentações de compra e venda dos combustíveis e verificar a origem dos mesmos.

“Se considerarmos a primeira etapa da Operação Posto Frio, que fiscalizou 24 postos em março, vamos chegar a um total de 59 estabelecimentos do setor vistoriados desde o início do ano, algo nunca visto na história”, afirmou o Superintendente de Fiscalização da Sefaz-RJ, Thompson Lemos.

A Operação Posto Frio II é a 16ª realizada este ano pela Sefaz-RJ para combater a sonegação de impostos e fortalecer a arrecadação tributária.

Caminhões apreendidos no fim de semana

No último fim de semana, a Sefaz-RJ apreendeu, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 13 caminhões de cargas de combustíveis com irregularidades nas notas fiscais que passaram pelas três Barreiras Fiscais do Estado, levando à cobrança de mais de R$ 1 milhão em impostos e multas.

Os problemas mais encontrados foram diferenças entre o combustível informado no documento e o que realmente é transportado e destinatário inexistente.

Nos primeiros 60 dias de funcionamento do CMAD, criado em fevereiro deste ano, os Auditores Fiscais já apreenderam 30 caminhões de etanol com irregularidades fiscais.

Esse número representa 60% de todas as apreensões feitas nos últimos 10 anos e geraram a cobrança de um total de R$ 4,6 milhões em multas e impostos.